16/05/12

PublicadoporemSingapura | 25Comentários

Singapura, the fine city!

Singapura, the fine city!

Singapura é o país (que também é uma cidade) mais ocidentalizado da Ásia e acho que em termos de organização, só perde para o Japão. Singapura também é conhecida como “fine city”. Fine pode significar legal em inglês, mas também significa multa. E o apelido não vem do legal, vem das multas.

Chicletes são proibidos por lá. São vendidos apenas em farmácias e com receita (e custam caro). Em qualquer lugar, tem pelo menos uma plaquinha de proibição, seja dizendo que é proibido fumar, proibido cuspir no chão, proibido tirar fotos, pisar na grama. Olha, a lista é grande.

Basicamente Singapura é composta de chineses, indianos, malaios (pessoal da Malásia, incluindo os muçulmanos) e alguns expatriados perdidos por lá (europeus). Em teoria, todo mundo vive em paz. Até porque se resolvessem brigar, o governo possivelmente cobraria uma multa, então é mais fácil viver em paz mesmo.

É o lugar mais caro do sudeste asiático. Se você curte uma cervejinha e está no estilo mochileiro, pode esquecer. Cervejas começam em 8 dólares (o dólar de Singapura).

A língua oficial é o inglês, mas pode esquecer isso também. Deveriam mudar o nome para “Singlish”, porque nada mais é do que uma bela mistura. Imagina um chinês falando inglês bem rápido, só que com a mesma entonação do chinês. Confuso né? É desesperador! Eu fiquei boiando várias vezes tentando entender o que eles queriam dizer.

Singapura foi o primeiro lugar da Ásia em que eu vi muitos brasileiros. Deve ser porque é bem do tipo que muitos brasileiros gostam. “Exótica” (não é tanto assim), “Internacional” (há controvérsias), “Longe”, “Ásia”, “Shoppings”, “Rica”, “Luxo”. Resumindo, a Nova York da Ásia. E é bem por aí mesmo, com exceção que não tem nada a ver com Nova York, a não ser o skyline. Prédios moderníssimos, super iluminados e os shoppings (é claro!).

ruas de Singapura

Ruas de Singapura

Singapura de noite

Singapura de noite

Eu adorei Singapura. Achei limpa, organizada, fácil de se locomover. Só que é um calor infernal e cheguei na época das monções. Achei que era tipo chuva de verão no Brasil (que chovia meia hora e parava), mas não. Teve dias que choveu 4 horas seguidas.
Para resumir – tem a região da Marina Bay e a famosa piscina gigantesca da cobertura que a Glória Maria visitou para uma reportagem do Fantástico ou Globo Repórter (não lembro). Não, não dá para nadar na piscina a não ser que você se hospede no hotel. Mas o recepcionista do hostel que eu fiquei, me falou que algumas pessoas conseguiram entrar lá vestindo roupa de banho e carregando uma toalha branca, fingindo serem hóspedes do hotel. Perguntei se esse povo era brasileiro e ele me respondeu – não, eram ingleses. Ou seja, existe jeitinho em outros lugares também. Para subir e ver a piscina (caso você não esteja hospedado no hotel), existem basicamente 2 maneiras: 1 – pagar o elevador. Custa 20 dólares de Singapura ou 2- tentar entrar via Ku-de-Ta (o barzinho do momento por lá). Só que o Ku-de-Ta tem dress code e as recepcionistas são bem chatinhas para deixar você entrar no super badalado bar. Elas até me deixaram entrar, mas não queriam deixar meu amigo espanhol subir comigo. Então, pagamos o elevador mesmo. Detalhe – o elevador é o mesmo, só que quem sobe via Ku-de-Ta ganha um cartãozinho e supostamente tem que beber um drink lá em cima. Ou seja, dá quase na mesma, porque esse bar é caro. O drink vai custar uns 20 dólares também.
Marina Bay
Marina Bay, Singapura

O hotel Marina Bay. Lá em cima, a famosa piscina (em formato de barco).

Piscina Marina Bay Singapura

A piscina do Marina Bay em Singapura. Farofa, a gente também vê por lá (risos).

A vista lá de cima

Nessa mesma região, tem o famoso leão branco (símbolo da cidade). Mas, já adianto que o leão não é tão grande assim. Ali também tem uma flor (achei quase igual a de Buenos Aires) e a Roda Gigante (a la Londres, porém maior, porque tudo na Ásia é megalomaníaco). Depois tem a Chinatown e Little India (Pequeno detalhe que o país já é formado por chineses e indianos, então tudo é meio Chinatown e Little India). Também tem a área muçulmana. Tudo bem perto e acessível por metrô. O metrô é ótimo e não é caro. Limpo, organizado, muito tranquilo mesmo. O prefeito de São Paulo deveria visitar Singapura e se inspirar para melhorar o de São Paulo (#prontofalei!). 
Leão
Leão de Singapura

Leão de Singapura

Leão de Singapura

O leão de dia

 

Roda gigante e flor 

Roda gigante e flor de Singapura

Roda gigante e flor de Singapura


Embora não seja dos destinos mais baratos da Ásia, é possível comer bem por 5-10 dólares, principalmente em Chinatown. Em termos de acomodação, existem vários hostels na cidade. Eu fiquei em um eco-hostel, chamado Tree Inn Lodge, que fica em Bugis, uma ótima região. Andei bastante a pé por lá, demorava no máximo 25 minutos até os pontos turísticos e para ir para o aeroporto, demorei uns 35 minutos com o metrô. 
templo indiano de Singapura

Templo indiano de Singapura (tem um igual em Kuala Lumpur)

Eu acho que Singapura vale a visita se você estiver voando para a Ásia e fizer escala por lá. Ou se vai passar por vários países do sudeste asiático. Sinceramente, acho que não vale a pena sair do Brasil única e exclusivamente para visitar Singapura. Primeiro que não tem muito o que fazer por lá. 2 dias inteiros dá e sobra e você ainda repete alguns pontos turísticos. Segundo que em termos de cultura, templos e etc. não chega nem aos pés dos vizinhos do Sudeste Asitático. A não ser que seu objetivo seja estourar o cartão de crédito nos shoppings, aí bem-vindo à Singapura.

Fernanda Souza é aquariana, brasileira e italiana, mas se considera uma cidadã do mundo. Apaixonada por viagens, fotografia, Londres e o pôr do sol, ela resolveu largar temporariamente o mundo corporativo e em seu ano sabático visitou 20 países. Ao todo já são 44 países carimbados em seus passaportes e ainda espera aumentar esse número.

  1. Paulo Honda says:

    Oi Fernanda…Você sabe me informar se quando estamos fora do País precisamos carregar o Passaporte ou basta carregar apenas uma cópia do mesmo quando saimos para passear…?

    • Oi Paulo! Eu sempre carrego o passaporte (e sempre no money belt dentro da calça) porque ele é o único documento que nos identifica lá fora. Muitas vezes você precisa do passaporte para entrar em bar, museu, comprar passagem.

  2. Oi Fernanda, tudo bem!?

    Se você tivesse três dias para visitar Kuala Lampur e Singapura, como dividiria esse tempo? Em um dia dá pra ver tudo em Singapura? Ou você acha que é perda de tempo ir nesses lugares? Estarei visitando Tailândia, Laos e Camboja (28 dias) e queria aproveitar a Air Ásia para conhecer esses dois países.

    Obrigado pela ajuda!

    Henrique.

    • Oi Henrique! Eu faria 1 dia para KL e 2 para Singapura. Eu particularmente achei KL meio sem graça, não achei as Petronas tão legais assim (até porque eu já tinha passado em Dubai e lá tá cheio de arranha-céu). Singapura é legal e não é muito grande. Faça 1 dia em KL, 2 em Singapura ou 3 só em Singa mesmo.

  3. Olá!
    Vou fazer um cruzeiro que sai de Singapura dia 6 de janeiro.
    Como não falo inglês muito bem, gostaria de saber se acha fácil um guia que fale português.

  4. Olá, Fernanda!
    Adorei seu blog, excelente!
    Muito boas as dicas, as fotografias e os lugares que vc escolheu pra ir!
    Muitos desses estão na minha lista de proximos destinos.
    Sou mochileiro, aventureiro, louco pela vida, pela natureza e por adrenalina!
    certamente suas dicas me ajudarão em minhas proximas trips!
    Fica na paz! beijos!

  5. Olá Fernanda, muito obrigado pelo relato.

    Em Julho estarei viajando pelo sudeste asiático, começarei e terminarei por Cingapura ou Bangkok (depende de qual vôo estiver mais barato), mas visiterei Cingapura, talvez Malásia (depende da disponibilidade de tempo), Tailândia, Camboja e Vietnam.
    Estou com medo pois viajarei no período de monções,e como você foi nessa época talvez possa me ajudar. As chuvas chegam a ATRAPALHAR DEFINITIVAMENTE algum passeio?

    Obrigado e parabéns pelo blog, você me convenceu a incluir Camboja no roteiro!

    • Olha, em KL e Singapura fui na época nas monções. Chovia umas 2 ou 3 horas por dia e atrapalhava um pouco, mas não impedia o turismo.
      Sei que no Vietnã a situação de monções é mais complicada e nas praias da Tailândia também. Que mês exatamente você vai? Porque eles tem épocas de monções diferentes.

    • Vou em Julho, pelo o que me informei as chuvas podem tirar um pouco o brilhantismo do lugar, mas nada que arruíne a viagem. Na Tailândia, Camboja e Vietnam li alguns comentários de europeus que já foram pra lá nessa época, disseram que chove bastante por pouco tempo (30 – 60 min), normalmente no fim da tarde, e que as enchentes só ocorrem em setembro e outubro, e que então era só se planejar para estar em algum local coberto nesse período.
      Vou tocar ficha na viagem e ver no que vai dar…

  6. Oi Fernanda, em que hostel ou hotel você ficou em Singapure?

  7. OI Fernanda, desde ja agradeco a sua iniciativa em deixar todas as indicacoes importantes bem como fotos para mostrar a realidade, como deve calcular ajuda-nos imenso (a nos turistas que sempre temos milhoes de duvidas e receios).
    A minha questao e a seguinte, eu tou indo de Londres semana que vem para Dubai, entretanto subiremos para cingapura e depois Thailandia ( ILhas e Bakgok).. em cingapura nao sei qual o melhor hotel (economico)para ficar por forma a que seja o mais acessivel ao aeroporto uma vez que apenas ficaremos la uns dois dias e temos viagem marcada para as ilhas thay na madrugada, entao o hotel teria que ficar proximo do aeroporto.
    e no caso, qual o melhor transporte para nos deslocarmos por la na cidade mesmo a noite de madrugada ( porque nao sei se o metro fecha a noite). Obigada e continue fazendo seus documentarios porque sao PERFEITOS!!

    • Eu fiquei num hostel, era um eco hostel. Não me recordo muito bem o nome, mas é um bem conceituado. Tinha quartos privativos (eu acho).O bairro acho que eu cito aí no post.
      Só andei de metrô que é moderníssimo e barato e deu uns 30 minutos no máximo do aeroporto até meu hostel. Mas tem táxi também (não sei quanto custa).
      De dinheiro, troque o mínimo possível. Depende do que vc pretende visitar, se vai na roda-gigante ou não.
      Eu só subi naquele prédio para ter a visão da cidade e da roda-gigante.

  8. ha, e outra questao que ta me deixando indecisa.. quanto dinheiro voce acha que agente deveria trocar, sendo que o nosso objectivo la sera mesmo so dormir uma noite, comer e o resto julgo que so vamos mesmo dar uma passeada para tirar fotos, ou seja em Singapura nao temos nenhum ponto forte que queiramos fazer pois estamos a dar prioridade ao Dubai e a Thaylandia.

    Obrigada

    • obrigada pela dica Fernanda, realmente a unica coisa que penso em fazer e subir no predio (da piscina em forma de barco) e nada de mais, so mesmo tirar fotos etc… dai ter perguntado quanto mais ou menos acharias que se gastaria la com comida (qualquer coisa) e uma noite porque praticamente so vamos tar la dois dias (1 noite), e que eu reparei que la e bem mais caro que no Dubai, (pelo site de conversao que eu entrei).

      • eu comi na Chinatown quase todos os dias e um dia fui no Mc Donald’s. Olha, não gastei mais do que 10 dólares de Singapura em cada refeição, mas em Chinatown comi na rua mesmo, como se fosse uma feira. Não sei se esse é seu estilo. Os restaurantes são caros mesmo.

  9. Oi Fernanda. Você disse que em singapura tem bastante brasileiro. Acredito que a maioria que você encontrou era morador. Existe muito brasileiro morando em singapura devido a Petrobras que possui muitos projetos lá, pois é um polo gigantesco de construção naval.

  10. Cátia Fidalgo says:

    Olá Fernanda! Antes de mais, parabéns pelo blog, está fantástico! A sua dedicação ao blog ajuda imenso pessoas como eu que querem viajar e conhecer o melhor de cada país.
    Em Fevereiro vou viajar para Singapura para fazer uma especialização de Faculdade. De segunda a sexta feira vou estar em aulas, mas no fim de semana estou livre, então queria aproveitar para conhecer a Malásia e a Tailândia. Da Malásia, queria apanhar o bus para ir a KL (ficar apenas uma noite), e na Tailândia queria ir a Krabi pois é quase um sonho visitar as Phi Phi Island, no entanto tenho receio de não conseguir visitar as Phi Phi em apenas 2 dias… acha que é impossível?
    Agradeço a sua opinião!
    Saudações de Portugal =)

  11. Olá Fernanda, muito legal seu site!
    Eu e meu pai incluímos Cingapura em nosso roteiro, e após
    passar pela China, Hong Kong e Tailândia.. Cingapura definitivamente perdeu a graça!
    Também achamos que a cidade não tem muito o que fazer.. tudo muito “american way of life”
    acabamos sempre indo para os mesmos lugares rs..( marina bay, clarke quay..)
    O que mais gostei foi o gardens by the bay…abração

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>