Gosto é muito pessoal. A maioria das pessoas que eu conheço e já estiveram em outras partes da Tailândia não gostaram muito de Phuket, mas conheço uma pessoa que morou anos em Singapura e pelo menos uma vez por mês viajava para Phuket e adorava.

Phuket é uma cidade extremamente turística, cheia de resorts e muito cara. Assim como em Krabi, Phuket também é dividida em área central (a cidade propriamente dita) e praias. 

A praia de Patong Beach é a mais famosa e a que possui mais infra-estrutura, restaurantes, bares, baladas e também a que possui mais prostitutas e lady boys (travestis). Infelizmente, muitos turistas viajam para Phuket apenas pelo turismo sexual e o resultado é claro – inflação de preços, muito barulho, muita encheção de saco dos vendedores e pouca Tailândia. 

Parei em Phuket duas vezes durante minha viagem de volta ao mundo para fazer alguns transfers para outras cidades. Minha primeira parada foi no dia 25 de dezembro de 2011 (isso mesmo, Natal). Minha primeira impressão foi péssima. Saí para jantar em uma pizzaria e a quantidade de homens acompanhados por prostitutas nas outras mesas era enorme. Infelizmente esse é um problema que não é exclusivo de Phuket, mas é fato que a concentração por lá e em Pattaya é maior. 

Lógico que não é só isso que tem em Phuket. Muitos casais com filhos passam as férias lá e a concentração de russo e japonês também é grande. 

Eu não gostei tanto de Phuket (Patong Beach pelo menos). Para mim, a Tailândia é muito mais e ali do ladinho, em Krabi, é possível encontrar uma Tailândia que todo mundo já viu em cartões postais. 


Se você pretende ficar uns dias em Koh Phi Phi, é melhor usar Krabi como base. Por que? Porque tudo em Krabi é mais barato – acomodação, restaurantes, passeios, etc. 

Mas se não tiver jeito e você precisar ou quiser ficar em Phuket, ficam algumas dicas. Patong Beach tem uma variedade enorme de acomodação, variando entre as categorias muquifo e alto luxo. Eu infelizmente fui contemplada com a categoria muquifo. Fiquei num hostel com uma procedência para lá de duvidosa, acoplado a um salão de beleza que também era bem duvidoso, com funcionários que não falavam inglês. Resumindo, não vou indicar esse hostel para vocês.

Se estiver com um pouco mais de dinheiro, faça uma boa pesquisa nos hotéis e nos resorts de outras praias. Phuket tem várias redes famosas, mas ainda é possível encontrar quartos bons em hotéis menores por uns U$50-U$60. Só para constar, em Ao Nang (Krabi) fiquei num hotel muito bom por U$30.

Quanto aos restaurantes: Patong Beach tem muitas, mas muitas pizzarias. E como tem muito italiano que se mudou para lá, elas são deliciosas. Estou citando as pizzarias porque uma hora a gente acaba enjoando da comida tailandesa. Eu fiquei quatro meses na Ásia, chegou uma hora que eu enjoei da comida. Opções de restaurantes locais e com frutos do mar também não faltam por lá.

Se quiser explorar um pouco mais a região, você pode alugar uma scotter e fazer passeios para outras praias próximas. Para passeios de um dia para as ilhas, você terá que comprar os pacotes nas agências. Como sempre, barganhar é lei. Vá numas três agências, pergunte o preço do passeio. Com esse valor em mãos, volte para uma que você acha que tem mais chances de negociar com o vendedor e negocie muito. Por experiência própria, digo que os valores iniciais são pelo menos 30% acima dos valores “justos”.

Esse post não tem fotos, porque passei algumas semanas sem máquina fotográfica. E Phuket entrou na lista de cidades que foram afetadas pela falta de câmera.

E você, também já foi para Phuket? Gostou ou não?

  
Lembrou do seguro viagem? Ele é muito importante e obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado de Schengen e também em Cuba e Venezuela. Nos demais países também é recomendável a contratação, pois não podemos prever incidentes. Leia sobre minha internação na Tailândia. No caso dos Estados Unidos, por exemplo, o custo médico diário de uma internação fica na faixa dos U$2.000 (caríssimo). Para os EUA a contratação de um seguro com cobertura de U$1 milhão não é exagero. Além disso, o seguro é super útil nos casos de cancelamento de viagem e extravio de bagagem (para citar alguns exemplos). Uso o seguro da Assist Card (vendido com desconto pela Real Seguros) há anos. Precisei utilizar 4 vezes durante minha volta ao mundo e sempre fui muito bem atendida. Você pode cotar com eles sem compromisso e, caso opte pela contratação, pode pagar em 6 vezes sem juros no cartão ou com desconto de 5% no pagamento à vista.
Cada vez que você reserva algo com um dos nossos parceiros recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter atualizado e com novas dicas de viagem. Seguro viagem geral 728x90