É preciso muito espírito aventureiro e um desapego à vaidade (e até à higiene) para topar o tour econômico de 3 dias/2 noites do Salar de Uyuni.

Eu já sabia que o modo perrengue seria ligado assim que eu chegasse em Uyuni, só não esperava que fosse ser tão tenso. Também sabia que não se pode exigir muito quando você paga o equivalente a U$88 (600 bolivianos) por um tour de 3 dias, mas…

Vamos aos fatos: após a jornada épica para chegar em Uyuni, eu logo fui abordada na rua por umas 10 agências. Sério! Quase fiquei surda com tanta gente gritando no meu ouvido.

Logo de cara, chegaram me oferecendo o tour por 700 bolivianos (em La Paz encontrei tours por 720), mas já sabia que dava para conseguir por 600 bolivianos. Essa era minha meta. Deixei claro desde o início que queria esse preço e imediatamente todas as agências toparam, o que me fez crer que poderia ter pedido 550 bolivianos.

Bom, eu fui com a vendedora que me garantiu que no tour da agência dela, só faltava uma pessoa (eu) e o grupo estava composto por 2 ingleses, 2 suiços e 1 americano.

Ainda fiz questão de perguntar se os outros passageiros não eram casais, porque na boa, não existe nada pior do que estar viajando sozinha e ter que segurar vela para casal.

Ela garantiu que todos eram solteiros. Primeira dica: os vendedores dos tours mentem e muito bem. Eu fui a segunda pessoa a fechar o tour com eles. Ou seja, ela inventou o resto do grupo para me convencer que o grupo era sensacional e a verdade é que até aquele momento (7 da manhã) só um mexicano tinha comprado o tour com eles.

Na hora que preenchi a ficha com meus dados e número de passaporte, finalmente percebi que só tinha mais uma pessoa no tour, mas aí já era tarde. Ela já estava com meu dinheiro. Bom, eu não tinha mais o que fazer, a não ser torcer para que as outras 4 pessoas fossem legais (o número máximo de pessoas por tour é 6).

Saí para ir ao banheiro e tomar café da manhã e quando voltei, adivinha com quem ela tinha completado o tour? Com 2 casais. Desde aquele momento, eu tive um pressentimento que o tour não seria legal e infelizmente eu estava certa.

Vou contar o resto da história em capítulos, porque é tanto perrengue…

A Bolívia tem um dos cenários de natureza mais bonitos que já vi no mundo, mas infelizmente precisa evoluir e muito nessa parte de atendimento ao turista.

Salar de Uyuni

Salar de Uyuni, o que compensa é que o lugar é lindo

Seguem minhas dicas:

– Compre o tour lá mesmo em Uyuni, porque é mais barato. Existem inúmeras agências e os tours são praticamente iguais. Se você pretende pagar essa faixa de preço de 600 a 700 bolivianos, pode esperar instalações precárias, comida razoável e falta de conforto.

– Não acredite no que os vendedores vão te falar no meio da rua. Eles mentem dizendo que o tour já está quase fechado e só falta você. Para mim, chegaram a mentir dizendo que tinha um alemão na agência comprando o tour. Na rua principal, existem várias agências, uma do lado da outra. Entre em todas e tente ver a lista dos nomes dos turistas. Nessa lista consta o nome, nacionalidade e idade dos passageiros. Ali, você já poderá ter uma ideia de quem viajará com você.

– Se possível, tente fazer amigos já no ônibus que sai de La Paz para Uyuni ou no próprio hostel que ficar em La Paz (se você estiver viajando sozinho). Se já estiver viajando com alguém, negocie desconto. Sempre rola desconto para 2 pessoas. Se você estiver num grupo grande (4 pessoas), tente negociar para pagar um pouco a mais por pessoa (uns 50 bolivianos) e ir só com seu grupo. Infelizmente, os grupos são loteria. Você pode dar sorte de pegar gente muito bacana ou não (meu caso).

– Esclareça todas as dúvidas antes de pagar. Mas tenha em mente que eles mentem e muito bem. Eles vão dizer que nos 2 hotéis tem tomada para carregar as baterias das câmeras (o que é mentira), que nos 2 hotéis tem chuveiro com água quente (0 que também é mentira) e por aí vai.

– Fica a dica – nos tours econômicos, só tem lugar para tomar banho no hotel de sal e mesmo assim, o chuveiro não é essa maravilha e você tem que pagar 10 bolivianos. E só nesse hotel tem tomada. O segundo hotel é uma espelunca, mas falaremos sobre ele depois. Adoraria dizer que isso é exclusividade da minha agência, mas nos mesmos lugares que dormi, outras três agências também levaram seus passageiros. Lembro do nome de duas delas: Sol de la Mañana e Laura Tours. A minha era a Tours y Bol, mas não recomendo e já vou dizer por qual motivo.

– Desapegue-se de tudo. Se você quer um certo conforto e luxo, vai ter que pagar aqueles tours caríssimos e privados de U$1.000 por pessoa. Não sei se pagar U$120 num tour de uma agência indicada pelo Lonely Planet vai te garantir mais coisas do que pagar U$90 num tour de uma agência não indicada pelo LP. Eu não pagaria, porque não vi nada no caminho tão melhor assim do que os lugares que fiquei. Aliás, até vi, só que os hotéis custavam U$130 a diária, o que me leva a crer que também existem tours na faixa de U$500 por pessoa. E a comida é padrão para todos os tours econômicos. Fica a dica: tudo que o Lonely Planet indica, tem preço inflacionado.

– Referências ajudam, mas cada tour é um tour. A agência que eu escolhi era super bem recomendada, mas nosso tour foi horrível, principalmente por causa do motorista. O que faz a diferença no tour é o motorista. Se ele for um mala, ele vai estragar o tour de todos. Foi o que aconteceu com a gente. O cara não falava inglês (e a dona da agência garantiu que ele falava inglês para os demais integrantes do grupo), não conseguia se comunicar com 4 pessoas do grupo e isso acabou prejudicando bastante nosso tour.

Leia aqui – Salar de Uyuni – primeiro dia

Salar de Uyuni – segundo dia

Salar de Uyuni – terceiro dia

Vai para a Bolívia? Reserve aqui seu hotel sem taxas extras e ainda ajude o blog.