A primeira coisa que levo em consideração na hora de escolher um hostel ou hotel é a localização. Ficar num lugar bem localizado, garante uma economia de tempo que, muitas vezes, é mais preciosa que a própria economia de dinheiro.

Em fevereiro, recebi alguns convites para me hospedar em Londres e acabei aceitando o convite do hostel Clink 78 em Kings Cross. Por que Kings Cross? Porque é, na minha humilde opinião, a estação mais bem servida de linhas em Londres. Além disso, é uma mão na roda para quem vai pegar o Eurostar (que era o meu caso).

O Clink 78 é um hostel enorme, enorme mesmo. Uma boa opção para quem vai viajar sozinho e quer tentar fazer amizades e, quem sabe, explorar Londres com outras pessoas. Todavia, como todo hostel grande, existem algumas ressalvas: a primeira delas é o tamanho do quarto. Se bem que comparado com outros lugares que já fiquei em Londres não dá para dizer que foi uma surpresa. O metro quadrado em Londres é caro, logo os quartos costumam ser pequenos (ainda mais no padrão econômico).

Fiquei em dois quartos privativos com uma amiga. No primeiro, tinha a beliche, uma pia e ainda sobrava um espaço para as malas e para a nossa livre circulação. Já o segundo quarto, era uma cela de prisão (o hostel foi um tribunal de justiça 200 anos atrás e eles conservaram algumas celas) e era claustrofóbico mesmo. Tinha a beliche e um espaço bem pequeno para a nossa circulação. Minha dica: não escolha esse quarto da prisão se você tem problemas de claustrofobia.

Beliche do primeiro quarto. A cama de baixo era um pouco maior que uma de solteiro

Beliche do primeiro quarto. A cama de baixo era um pouco maior que uma de solteiro. Outra coisa que gostei é que eles te dão o lençol na hora e você coloca na cama. Acho mais higiênico assim.

Esse é o quarto cela. Detalhe da porta e da beliche.

Esse é o quarto cela. Detalhe da porta e da beliche.

Em relação aos banheiros: eram muitos. Eu não cheguei a pegar horário de pico em nenhum deles (tomo banho de noite). De manhã, era mais movimentado, mas mesmo assim minha amiga não teve grandes problemas para tomar banho. A ducha era boa, água com bastante pressão e bem quente, porém você tinha que ficar apertando um botão (essa foi a parte chata). Outra parte que achei chatinha foi o fato de não ter uma prateleira dentro do box para você pendurar suas coisas. Tinha uns cabides, mas a pressão da água era tão forte que acabava molhando tudo que estava pendurado. No primeiro dia, saí com as roupas molhadas e no segundo dia fui mais esperta e levei tudo dentro de uma sacola plástica. Deu certo! Essas são minhas observações a respeito do banheiro.

Um ponto bastante positivo do hostel (além da localização) é o café da manhã. Geralmente, os cafés dos hostels são bem básicos e não vão muito além de café, chá e pão. No Clink 78 tinha tudo isso + manteiga, geleias, queijo cheddar (se você nunca comeu o da Inglaterra veja na foto como é) e mais algumas opções de cereais. Além disso, na área do bar/restaurante existem algumas máquinas de café/chocolate quente e comidas com preços acessíveis, além de uma cozinha caso queira preparar sua própria comida. Ah! O preço das bebidas do bar também é bem razoável para o padrão Londres.

Café da manhã

Café da manhã

Se você procura um hostel bem localizado em Londres, o Clink 78 pode ser uma boa opção. Mas realmente não é o tipo de hostel para você ficar muito tempo dentro do quarto, porque eles são bem pequenos.

Clink 78

Endereço: 78 King’s Cross Rd

Site: http://www.clinkhostels.com/

Camas em quartos coletivos a partir de £13  (depende da disponibilidade)

Quarto duplo a partir de £60.

Fica a 10 minutos a pé da estação de metrô de Kings Cross. Dica: se você estiver com algum passe em Londres que dê direito ao uso de metrô e ônibus, pegue o ônibus da estação até o hotel. São apenas 2 paradas, mas é uma ajuda valiosa principalmente se estiver chovendo.

Veja todas nossas dicas de Londres

  
Lembrou do seguro viagem? Ele é muito importante e obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado de Schengen e também em Cuba e Venezuela. Nos demais países também é recomendável a contratação, pois não podemos prever incidentes. Leia sobre minha internação na Tailândia. No caso dos Estados Unidos, por exemplo, o custo médico diário de uma internação fica na faixa dos U$2.000 (caríssimo). Para os EUA a contratação de um seguro com cobertura de U$1 milhão não é exagero. Além disso, o seguro é super útil nos casos de cancelamento de viagem e extravio de bagagem (para citar alguns exemplos). Uso o seguro da Assist Card (vendido com desconto pela Real Seguros) há anos. Precisei utilizar 4 vezes durante minha volta ao mundo e sempre fui muito bem atendida. Você pode cotar com eles sem compromisso e, caso opte pela contratação, pode pagar em 6 vezes sem juros no cartão ou com desconto de 5% no pagamento à vista.
Cada vez que você reserva algo com um dos nossos parceiros recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter atualizado e com novas dicas de viagem. Seguro viagem geral 728x90