Home Textos Hábitos brasileiros que os gringos não entendem

Hábitos brasileiros que os gringos não entendem

por Fernanda

Você acha bizarro comer noodles no café da manhã? E os biquínis das gringas? Pois é, saiba que eles também acham alguns de nossos hábitos para lá de estranhos. Compilei aqui 12 hábitos brasileiros que os gringos não entendem e já me questionaram muito mundo afora.

1) Escovar os dentes após o almoço

Nunca esqueço da cara de pavor das minhas colegas (em Lisboa e Londres) ao me verem no banheiro escovando os dentes após o almoço. O hábito definitivamente não é comum em muitos países. O pessoal masca um chicletes e olhe lá.

2) Banho todo dia* 

Tem gente que não toma banho todo dia. É uma diferença cultural. Na Austrália, por exemplo, eles até tomam banho todo dia, o choque vinha mesmo ou com o banho noturno (meu caso) ou com o segundo banho do dia (no verão).

3) Abacate doce

Tenta falar para um gringo que você adora bater leite, abacate e açúcar e fazer uma vitamina. Veja a cara de espanto. Abacate em quase todo o mundo é usado na salada e/ou tempero (vide comida mexicana).

4) Arroz com feijão

É bem provável que escute do gringo: “sério”? Essa “maravilha” (to colocando entre aspas, porque particularmente detesto a combinação) é famosa só aqui mesmo. Feijão eles gostam ou na comida mexicana ou nos tradicionais cafés-da-manhã ingleses. Arroz em comida asiática, paella ou risoto.

5) Biquínis

O fio-dental ainda choca, assim como os nossos biquínis mais “normais”. As gringas realmente não entendem porque a parte de baixo é tão pequena. Pois é! E eu também nunca entendi porque a parte de baixo delas é tão grande.


6) Jogar papel higiênico no lixo

Nem todas as cidades do Brasil têm um sistema de esgoto que permite que o papel higiênico seja jogado no vaso. Lá fora, é muito comum jogar o papel diretamente no vaso, então os gringos ficam abismados ao verem que aqui jogamos no lixo.

7) Morar com os pais

Nos países desenvolvidos é muito comum o jovem sair da casa dos pais quando vai para a faculdade. Tenta explicar para um gringo que quanto antes você começar um estágio melhor e que um trabalho de meio período de garçom, por exemplo, não é suficiente para pagar aluguel, comida, transporte e a própria faculdade? Eles não entendem que aqui “qualquer emprego” não consegue pagar a “independência”.

8) Empregadas domésticas

Até eu acho difícil entender este item em pleno 2015. Imagina os gringos?

9) Ficar de frente para o sol e não para o mar

Os gringos quando vão para a praia querem mais é apreciar o mar. Um dia fui para uma praia na Tailândia com um sueco e ele ficou chocado quando estendi minha toalha em direção ao sol. Ele ficou virado para o mar.

10) Compras parceladas

E sem juros? Só no Brasil.

11) Espontaneidade

Obviamente não vale para todos os países, mas na Austrália, Inglaterra, Holanda e Alemanha, por exemplo, se você falar: “vamos tomar um café?” para alguém, provavelmente a pessoa irá pegar o celular e marcar na agenda. Meus amigos alemães ficavam abismados quando eu falava a frase para um amigo brasileiro e imediatamente saíamos para tomar alguma coisa. Para ser sincera, a espontaneidade é o que mais gosto nos brasileiros.

12) Falta de pontualidade

A festa começa às 20:00 hs e os convidados subentendem que é para chegar a partir das 20:30 hs? É muito Brasil, né? Os gringos ficam indignados com nossa falta de pontualidade. Durante minha volta ao mundo, o que mais escutava dos gringos era: “horário padrão e não horário brasileiro”. Traduzindo: não se atrase e mesmo assim, eu sempre atrasava. Vai entender.

13) Cerveja gelada

Ninguém leva tão a sério o fato de gelar cerveja como os brasileiros. Cansei de ver gringo tomando cerveja em temperatura ambiente (leia: quente). Todos meus amigos estrangeiros que visitaram o Brasil ficaram encantados com o isopor que envolve a garrafa e os baldes de gelo nos bares. Tá aí um hábito que poderia ser exportado.

14) Demonstração pública de afeto

Algo tão latino, não é mesmo? Mas dependendo do país, o nosso hábito de ficar dando beijinho de oi, abraços e até mesmo ficar de mão dada ou se beijando é considerado para lá de estranho.

Algum estrangeiro já falou para você que considera alguma coisa esquisita no Brasil? Conta para a gente.

*gifs retirados do site http://giphy.com/

 

19 comentários
0

Artigos Relacionados

19 comentários

jess 17 de junho de 2015 - 02:06

Adorei, fernanda! Dei umas boas risadas aqui.. hahah

Reply
Gabriela Moniz 17 de junho de 2015 - 08:58

Rindo litros aqui!!!!
Não lembro agora de hábitos nossos que eles acham esquisito, mas eu acho estranho o hábito dos gringos de tirarem o sapato sempre que entram em casa. Uma vez passei a maior vergonha na casa de uma amiga gringa na Suécia porque todo mundo tirou os sapatos e eu tive que entrar no esquema. Só que a minha bota era daquela que dava o maior chulé!!!! Ô vergonha…

Reply
Fernanda 17 de junho de 2015 - 09:07

Agora eu que ri. hahaha
Na Ásia também rola esse esquema de tirar o sapato em todos os lugares. Particularmente acho péssimo, até porque às vezes a gente tá com aquela meia feia que não “orna” com a roupa. Depois da Ásia, comprei vários pares novos de meias e joguei as furadas fora. hahahahaha

Reply
julliana 17 de junho de 2015 - 09:17

Ola Fernanda. Amei seu post. É exatamente assim. Como sei??? Não, não viajo horrores como você rs, mas meus chefes são belgas e o choque de cultura é bem grande.
Eles falam exatamente isso “horário brasileiro”. Dizem que os 15 minutos de tolerância de trabalho so existe aqui, então eles chamam de “15 minutos de tolerância brasileiro” hahahahaha

Reply
Fernanda 17 de junho de 2015 - 09:28

15 minutos de tolerância eles estão sendo bem legais. A “tolerância” brasileira passa de meia hora. É realmente bizarro.

Reply
Raquel 17 de junho de 2015 - 16:23

Vc não entende a necessidade de empregada doméstica porque não deve ter filhos pequenos. Lembrando que creche boa e de período integral na minha cidade custa em torno de 2.500 dilmas.
No mais, adorei o post. Sou muito fã do teu blog!!!

Reply
Fernanda 17 de junho de 2015 - 16:56

Quis dizer que não entendo a necessidade da profissão ainda existir. Só existe nos países mais pobres e é exatamente porque muita coisa dita básica ainda falta (educação pública de qualidade, mais oportunidades profissionais e assim por diante). Obviamente que pessoas muito ricas em países desenvolvidos também têm empregados domésticos, mas é exceção. Enfim…

Reply
Raquel 17 de junho de 2015 - 16:26

Ah! Lembrei de um hábito brasileiro considerado esquisitíssimo (pelo menos em Paris): ir a um café e querer pagar a conta toda só quando for sair da mesa. Lá é comum ir pagando cada item à medida que se consome. Pense nos olhares raivosos que ganhei dos garçons!

Reply
Fernanda 17 de junho de 2015 - 16:51

Sério? Eu também pagava só no final em Paris. Devem ter me odiado. rs

Reply
Claudia 17 de junho de 2015 - 23:21

Oi Fernanda!!!
Essa do bikini pequeno é estranho. As européias e australianas, das que conheço, usam sunga ao invés do bikini, mas fazem top less.
Quanto ao horário sou gringa. Odeio atrasos. Acaba que sou das primeiras a chegar nas festas/churras haja.

Reply
Fernanda 17 de junho de 2015 - 23:43

Você tocou em outro ponto que eles acham super estranho: os biquínis serem tão pequenos e as brasileiras não fazerem topless. Pior ainda: topless ser proibido no Brasil.

Reply
Claudia 18 de junho de 2015 - 13:37

Tapamos o mínimo, porém o necessário haha.

Reply
Paula 20 de dezembro de 2015 - 21:58

Nunca esquecerei a cara de NOJO das americanas quando me viram escovando os dentes no banheiro da Disney. E concordo quanto às empregadas. Eu contratei uma meio período e as pessoas que têm a mesma profissão que eu na Europa limpam a própria casa numa boa, já que lá os ricos não são tão ricos nem os pobres tão pobres. Só realeza mesmo pra bancar salário de doméstico!

Reply
Fernanda 21 de dezembro de 2015 - 16:47

Haha. Nojo define bem mesmo.

Reply
Luiza 21 de dezembro de 2015 - 09:30

Muito bom post!
Outra hábito estranho alem do “arroz com feijão” são os mil itens que colocamos no prato de uma só vez, carne, verdura e/ou salada. Meus amigos peruanos falam que não sabem como aguentamos comer todos os dias a mesma comida. Até quando fui com eles num self service em Belém do Pará eles ficaram perdidos com tantas opções e acabaram comendo só um prato tipico mesmo.

Reply
Fernanda 21 de dezembro de 2015 - 16:47

É verdade. Meus parentes italianos também ficaram horrorizados quando foram a um rodízio italiano aqui no Brasil. haha

Reply
Ana 23 de agosto de 2016 - 17:06

Esse ponto que fala sobre trajes de banho é muito pano pra a manga( já que falta no biquíni). Eu mesma lembro de um amigo holandês que pediu ajuda para comprar algo para ir a praia, eu claro, automaticamente pensei na sunga, ai aprendi que para ele era incompreensível o fato de um homem usar biquíni na praia, ri muito, ao fim a bermuda surfista é a ideal para eles. O fato de você comer um salgadinho e um brigadeiro ( doce e salgado) em poucos minutos para um alemão é um belo convite para uma indigestão, um crime pro estômago, tem que ser bem separado em longos minutos, puts, não dá!

Reply
Fernanda 23 de agosto de 2016 - 21:45

Hahaha. Imagina os alemães em festinha de criança brasileira então? Festival de coxinha, quibe e brigadeiro. Tudo junto e misturado. rs

Reply
Mari 23 de janeiro de 2019 - 00:57

Elas n entendem pq a nossa parte de baixo é tão pequena e eu n entendo pq elas n usam a parte de cima do biquíni😘

Reply

Deixe um Comentário