Home Destinos InternacionaisEuropaInglaterraLondres Londres: como planejar seu roteiro

Londres: como planejar seu roteiro

por Fernanda

Londres é minha cidade favorita no mundo. Já morei lá (2006) e desde então tenho voltado a cada dois anos. Normalmente não planejo muito meus roteiros, mas como minha mãe está indo junto e não conhece Londres, estou me organizando muito mais do que das outras vezes.

Tenho usado o guia da Helô do Aprendiz de Viajante para planejar o que fazer nos 4 dias que ficarei na cidade. O guia é bem completo tanto para iniciantes como para iniciados em Londres. Vale a pena o investimento. Estou com a versão digital. Custa R$39,90 e o pagamento é feito via Paypal. Se você se interessou é só clicar no botão “buy now”.

Buy Now

londres

Onde ficar em Londres

Londres é enorme, tem muitas atrações e não existe um bairro determinado que você possa escolher e fazer tudo a pé. Então, essencial mesmo é que seu hotel fique próximo do metrô. Preferencialmente, bem próximo e que fique dentro das zonas 1 e 2. Por que? Porque o transporte para as outras zonas é mais caro e as atrações turísticas concentram-se nas zonas 1 e 2.

Vou citar algumas regiões que já fiquei e gosto de ficar em Londres:

Pimlico: uma área bem central e fica perto do Big Ben e do Buckingham Palace. Também tem a vantagem de ser próxima da estação de trem de Victoria. É lá que vou ficar durante parte do tempo. Meu hotel escolhido foi o The Melita (reserve aqui).

King’s Cross: fiquei lá no ano passado e apesar de não ter tantas atrações por perto (tirando a própria estação que tem a plataforma do Harry Potter) é uma excelente localização para quem vai pegar o Eurostar e também porque nessa estação passam as principais linhas do metrô. É muito fácil chegar em qualquer atração a partir de King’s Cross. Fiquei no Clink 78.

Bayswater: também considero uma região boa para se hospedar. Há muitas opções de hotéis mais baratos familiares e sem estrelas). Fica próximo do Hyde Park e do metrô. Fiquei no Hotel Wedgewood (reserve aqui).

Brick Lane: na parte leste de Londres, que antigamente era mal vista e mal frequentada, mas hoje é um dos pontos mais descolados da cidade, cheio de bares, cafés e lojas legais, além de um mercado de rua delicioso. Eu adoro Brick Lane e me apaixonei pelo hotel Qbic (reserve aqui). Por isso, ficarei umas noites lá também, mesmo sabendo dos pormenores (menos linhas de metrô, por exemplo).

Quantos dias?

Olha, dá para ficar 1 ano em Londres e você ainda terá muito o que conhecer/ver/fazer. Dessa vez ficarei apenas 4 dias. Acho pouco e terei que cortar muita coisa (já adianto que cortarei os museus). Diria que 7 dias é o ideal, até para conhecer os museus (quase todos gratuitos). O British Museum e o Museu de História Natural de Londres são os meus preferidos.

Obviamente tudo depende da prioridade das pessoas, do que elas querem conhecer do ritmo . Se a pessoa se contentar com o “básico” e mais popular de Londres (Big Ben, troca da guarda, London Eye, Notting Hill, Tower Bridge, Hyde Park, etc. consegue ver em 3 dias num ritmo rápido, por exemplo). Estou ajustando ao máximo o meu roteiro para que minha mãe possa ver o que eu mais gosto na cidade. Quero passar por todos os pontos que já citei e também pelo Borough Market, Camden Town, Little Venice, Regent’s Park. Vai ficar super corrido, mas não tem outro jeito.

Camden Town

Camden Town

Como se locomover

Transporte público. Apesar dos ônibus de 2 andares estarem onipresentes no nosso imaginário e serem mais baratos (se você pagar de forma avulsa, mas já falaremos sobre isso), o metrô é a melhor opção. Vai para praticamente todas as atrações e é bem mais rápido.

Mas já que estamos falando sobre transporte público, precisamos falar sobre o Oyster. Esse cartão vai salvar a sua vida em Londres. As passagens ficam mais baratas e você ainda pode fazer o “top-up” (recarga) e usar “pay as you go” ( usou, pagou) ou pode comprar um passe (semanal, por exemplo). Vale a pena fazer as contas e ver o que vale mais a pena. Se você está com preguiça, digo que nas minhas contas cheguei à conclusão que até 4 dias o passe não vale a pena. Após esse período, vale a pena.

Atrações

A sorte (já que a libra está custando um rim) é que boa parte das atrações são gratuitas. Até fiz um post com 85 atrações gratuitas em Londres. Aproveite para planejar o seu roteiro.

Artigos Relacionados

Deixe um Comentário